"Não era essa a República..."
Num salão de Paris, a linda
moça, de olhar gris,
toma café. Moça feliz... (...).
Quedê o sertão daqui?
Lavrador derrubou.
Quedê o lavrador?
Está plantando café.
Quedê o café?
Moça bebeu.
Mas a moça, onde está?
Está em Paris.
Moça feliz
.”
Cassiano Ricardo

Tremenda máquina de dominação, essa que se montou,  com a República e com que se prolongou a política aristocrática, de base rural, francamente unida à grande burguesia, do comércio e  da indústria; mas também sistema rigoroso de seleção, com que se  peneiravam as elites, dentro de um critério quase patriarcal e num espírito conservador por excelência.” Fernando de Azevedo, sociólogo

O pecado original da República - José Murilo de Carvalho (recomendado!)
Abaixo a Vacina! - No começo do século XX, o carioca liderava a maior revolta urbana a que o Rio de Janeiro já assistiu, dizendo "Não!" à obrigatoriedade da vacina contra a varíola e à invasão de seus lares imposta pelo governo.
Os Anos Rebeldes do Tenentismo - Marieta de Moraes Ferreira
Ordem e Progresso - Mais do que um simples lema na bandeira, as ideias positivistas de Augusto-Comte impregnaram a nascente República brasileira.
"Não era essa a República de meus sonhos..." - O nascimento da República no Brasil
N. S. Aparecida: Uma rainha para a República - A sagração de Nossa Senhora Aparecida como Padroeira do Brasil, em 1931, foi o ponto alto de uma história que se inicia no século XVIII e envolve mistério, fé e política.
Memória da Peste - Parecia o fim do mundo: cadáveres insepultos, falta de comida e de remédios para enfrentar a maior epidemia de todos os tempos. No Rio de Janeiro, usada politicamente, a gripe espanhola construiu e destruiu reputações
A Guerra de Peludos e Pelados - No início do século XX, o planalto de Santa Catarina foi palco da Guerra do Contestado, um conflito em que "virgens" e "meninos-deuses" enfrentavam as tropas do governo e dos coronéis.
Coluna Prestes: Uma Epopeia Brasileira - Anita Leocádia Prestes
Canhões contra a Chibata - Em 1910, marinheiros insatisfeitos com os maus-tratos se revoltaram e tomaram parte da frota de navios de guerra do Brasil. Entre ameaças de bombardeio, a capital da nação, o Rio de Janeiro, viveu dias de terror.
O Legado do Conselheiro - Canudos é uma ferida, e um emblema do Brasil
República do Acre - Uma história incrível.
Sem Pátria nem Patrão - Para realizar seu sonho libertário, muitos anarquistas deixaram a Itália e vieram para o Brasil. No início do século 20, eles agitaram São Paulo - e ensinaram os trabalhadores a lutar por seus direitos.
Em 20 de outubro de 1916, Aureliano Leal, chefe de polícia do Rio de Janeiro, deu uma ordem aos seus comandados: Antes da apreensão de roletas e outros equipamentos de jogos de azar, os contraventores deveriam ser avisados “pelo telefone.” No ano seguinte, Donga registrou na Biblioteca Nacional os versos de “Pelo Telefone”. É considerado o primeiro samba gravado.
Volta Seca, cangaceiro do bando de Lampião, interpreta Mulher Rendeira.

0 comentários: